Força Renato!

Força Renatinho, a Legião está com Você!


No início do mês, o volante do Palmeiras Renatinho, que estava emprestado ao Joinville, rompeu os ligamentos do joelho esquerdo e só volta a jogar em 2016. 
Para dar força e apoio a esse humilde jogador do verdão, a Legião Palestrina fez

essa pequena homenagem para o atleta.


Renatinho, torcemos para que sua recuperação seja feita da melhor maneira possível e que logo você esteja fazendo o que mais gosta, que é jogar futebol. Te desejamos toda força do mundo, lute, tenha fé, vença. Quanto maior a batalha, maior é a vitória.

Como você mesmo falou: "NUNCA DESISTA DOS SEUS SONHOS, POR MAIS DISTANTES QUE ELE ESTIVER LUTE, VENÇA, PERCA, GANHE, ERRE E APRENDA. TUDO TEM UM SENTIDO INDEPENDENTE SE FOR BOM OU RUIM, ISSO VAI SERVIR PARA VOCÊ SE VALORIZAR LÁ NA FRENTE", disse Renatinho, ao Blog Soares Futebol, no dia 24 de setembro de 2012. Força Renatinho!!!

Familiares e amigos mandam recados de apoio e força

Vídeo feito por Dayvidson Soares com o apoio da Legião Palestrina.
Com  depoimentos da família, amigos , companheiros e ex-companheiros de clube de Renato.

Renatinho passou por muitas dificuldades até chegar no Palmeiras

Com 18 anos, o atleta buscou sua primeira oportunidade como profissional bem longe de casa. Apesar de preferir não citar o nome do clube, o atleta não tem vergonha de falar que chegou até a passar fome por lá. Mas a amarga experiência foi driblada com a ajuda dos companheiros.

– Tinha ido numa pizzaria, era rodízio, e o pessoal não comia a borda da pizza para não encher muito rápido. Teve uma vez em que eu estava sem dinheiro para ir e também não tinha dinheiro para comprar a bolacha da noite. A janta era 18h e só tinha o café da manhã no dia seguinte, às 8h. Cheguei e perguntei se ninguém ia me zoar. Aí pedi para eles trazerem a borda da pizza para eu comer. Aquela foi a noite que eu dormi mais feliz, de barriga cheia – diz Renato, emocionado, ao Globoesporte.com
-Quando eu cheguei ao Palmeiras, eu dava valor a tudo: minha cama, comida. Já falei outras vezes que eu não via a hora de acabar o treino porque a comida era muito boa. Se eu não tivesse passado por tudo isso talvez eu poderia chegar a outro clube e falar que era normal. Mas quando eu cheguei ao Palmeiras, vi o clube, o uniforme de treino, o campo, eu liguei para o pessoal e falei: fiquem tranquilos que vou passar no teste – recorda.




Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »

1 comentários:

Clique aqui para comentários
Maria Tereza
admin
23 de junho de 2015 14:07 ×

👌👌👏👏

Parabéns Maria Tereza.
Responder
avatar
Obrigado pelo seu comentário